09 dez 2019

Saiba a importância de proporcionar acessibilidade no escritório

A mobilidade de pessoas com algum tipo de deficiência vem ganhando destaque na mídia pelo debate de assuntos que, até então, eram pouco discutidos. E, de fato, garantir uma boa acessibilidade no escritório influencia diretamente a produtividade das equipes e a saúde dos colaboradores.

Apesar de a maior parte das obras de adaptação se resumirem a algumas rampas e barras de apoio (executadas, muitas vezes, incorretamente), é perceptível o salto de aplicações acessíveis nos ambientes que vêm sendo construídos, o que impacta diretamente a qualidade de vida dessas pessoas.

Pensando nisso, desenvolvemos este artigo com o intuito de apresentar mais informações sobre a importância da acessibilidade em ambientes empresariais, além do que a legislação diz a esse respeito e de como uma organização pode aplicar esse conceito em seus escritórios. Acompanhe!

O que é acessibilidade?

Trata-se, basicamente, de um conjunto de medidas voltadas para assegurar o acesso a lugares comuns para pessoas que apresentam algum tipo de necessidade especial ou mobilidade reduzida. Esse conceito garante que aqueles com algum tipo de deficiência não apenas acessem determinados locais, mas também consigam se adaptar à realidade que estão inseridas, rompendo barreiras e executando ações que seriam complexas sem o ajuste adequado dos ambientes.

Hoje, na prática, projetos desenvolvidos por profissionais especializados são pensados sob essa ótica, interferindo no urbanismo das cidades e na arquitetura das edificações. Sobretudo, ela já alterou diversos layouts de edifícios, hospitais e outros espaços após a legislação de acessibilidade.

O que a legislação fala sobre o assunto?

Após uma revisão das normatizações brasileiras que regem esse assunto, em dezembro de 2004, as leis 10.048 e 10.098 foram regularizadas pelo Decreto 5296, passando-se o regimento dos critérios e normas de acessibilidade e arquitetura a essas padronizações.

Hoje, considera-se um indivíduo com deficiência ou mobilidade reduzida aquele que permanente ou temporariamente se encontra com alguma limitação das suas capacidades de relacionamento ou locomoção, reduzindo o uso efetivo de instalações em seu cotidiano.

Muitos escritórios estão localizados em edifícios antigos, que foram construídos antes dessas leis que regem a garantia de acessibilidade. A legislação, portanto, não obriga que suas áreas privativas sejam acessíveis, apenas que os ambientes comuns (inclusive elevadores) ofereçam as condições adequadas.

Por outro lado, a lei 8.213 regulamenta a reserva de vagas de postos de trabalho para pessoas com deficiência comprovada ou para indivíduos que sofreram algum tipo de acidente de ofício, beneficiárias da previdência social. Essas obrigações valem para empresas que tenham 100 ou mais funcionários, com cotas variando entre 2% e 5% do total de colaboradores.

Tais percentuais são aplicados em função do número total de profissionais, regulamentados da seguinte forma:

  • até 200 funcionários — 2%;
  • de 201 a 500 funcionários — 3%;
  • de 501 a 1000 funcionários — 4%;
  • mais de 1000 funcionários — 5%.

Qual é a importância da empresa se tornar acessível?

A legislação não deve ser o único fator motivador para una organização investir em medidas inclusivas. O conceito de acessibilidade deve ser estendido para a valorização de todos os indivíduos com deficiência, desde os colaboradores que trabalham com atividades profissionais nas empresas até os clientes que se beneficiarão dessas ações.

Segundo pesquisa realizada pelo instituto brasileiro de geografia e estatística (IBGE), 24% da população tem algum tipo de deficiência, o equivalente a 45 milhões de brasileiros. Esse cenário demonstra a necessidade de traçar estratégias empresariais para atender uma forte demanda e trazer bons conceitos para a organização perante o mercado.

Uma das formas, portanto, de investir no acesso ao seu negócio é adequar todas áreas comuns para permitir o acesso sem restrição. Essa medida traz autonomia para as pessoas realizarem suas atividades cotidianas com independência e segurança — tanto a possíveis funcionários (já que os escritórios são obrigados por lei a contratar pessoas com deficiência, como vimos) quanto a clientes ou visitantes que tenham alguma necessidade especial ou mobilidade reduzida.

Como aplicar a acessibilidade no escritório?

As empresas que não cumprirem as leis regulamentadoras podem ser processadas e multadas, de acordo com o artigo enquadrado. Nesses casos, o juiz realiza uma avaliação do prejuízo que a falta de acessibilidade trouxe para a sociedade e para a vítima, penalizando a organização.

Então, para que você e sua empresa não sofram nenhum tipo de penalização e garantam acessibilidade adequada para a inclusão de todos os usuários, separamos a seguir alguns pontos importantes que não podem ser ignorados na hora de promover suas adaptações. Na maior parte das situações, elas exigem rotas acessíveis para os usuários, aplicando os conceitos de acessibilidade desde o estacionamento e calçadas até a recepção do edifício e o próprio local de trabalho. Confira!

Sinalização

Em primeiro lugar, as formas de comunicação inclusiva seguem critérios:

  • visuais — com o desenvolvimento de figuras e textos nos ambientes;
  • táteis — utilizando braile e figuras ou caracteres em relevo;
  • sonoras — a partir de recursos auditivos.

Também existem sinalizações que podem ser de caráter emergencial, direcional, permanente ou temporário. As sinalizações permanentes são utilizadas em espaços e áreas definidos, identificando elementos ou lugares presentes nesses ambientes. As indicações nos mobiliários são usadas para o reconhecimento de comandos importantes.

Já a sinalização direcional utiliza elementos para conduzir a distribuição espacial ou possíveis percursos pelo local. Além disso, deficientes físicos e auditivos são amparados por setas indicativas, figuras ou símbolos com direcionamento, enquanto as pessoas que têm a visão comprometida são orientadas por piso tátil ou linha guia.

Rampas, portas e corredores

Não é qualquer rampa que cumpre as normas regulamentadoras. Geralmente, esses acessos devem apresentar uma inclinação igual ou superior a 5%, para vencer os desníveis, mas não podem ultrapassar a especificação máxima de 8,33% para a acessibilidade de pessoas com mobilidade reduzida.

Apesar de existirem cadeiras com rodas motorizadas, esse limite deve ser seguido para que um cadeirante possa superar os desníveis. Se a rampa for muito extensa, é recomendável uma inclinação mais suave, com patamares intermediários e planos para mudanças de direção e descansos.

Para os casos em que o portador de necessidades especiais precise manobrar a cadeira com certas restrições, é recomendável que a largura da porta seja de 90 cm. Enquanto isso, para promover um fluxo ideal de pessoas pelos corredores (dependendo do dimensionamento da edificação) é necessária uma medida de 1,20 m em condições ideais.

Acessibilidade comunicativa

As pessoas com deficiência auditiva também precisam ser amparadas dentro da sociedade. Para isso, existem decretos específicos que abordam a necessidade de haver um tradutor e intérprete de libras, principalmente relacionado a edificações públicas, garantindo um amplo atendimento a todos esses usuários.

Como o acompanhamento de uma empresa especializada pode auxiliar o escritório?

Para a adaptação de escritórios já existentes, uma empresa especializada pode ajudar com a adoção de medidas adequadas para garantir acessibilidade aos seus ambientes. Essas organizações contam com profissionais capacitados e experientes e várias alternativas adequadas para diversos layouts.

Além disso, para o desenvolvimento de projetos de novos empreendimentos comerciais, é imprescindível o acompanhamento de engenheiros e arquitetos de empresas capacitadas. Esses profissionais têm conhecimento das leis e regulamentações sobre todas as adaptações necessárias no ambiente de trabalho.

Vale dizer, também, que quando soluções de acessibilidade são pensadas durante a etapa de projeto, os seus custos são significativamente reduzidos. E ainda é importante ressaltar que o dinheiro empregado nesse conceito adaptativo é um investimento para o negócio, trazendo inovação e produtividade para as suas equipes de trabalho.

Como vimos até aqui, a promoção de acessibilidade no escritório, além de ser uma obrigação legal, traz um conceito inovador e gera mais credibilidade para a organização no mercado. Afinal, gera a inclusão de colaboradores e clientes para o negócio e evita acidentes decorrentes de adaptações ineficientes. E, para garantir tudo isso, ter uma empresa especializada à sua disposição é essencial para a adoção de medidas inteligentes e econômicas em todos os ambientes.

Então, gostou do nosso artigo sobre a importância da acessibilidade em escritórios empresariais? Agora, que tal conferir também as principais tendências de coliving e coworking para os novos empreendimentos?

1 Comments

  1. Magnificent web site. Plenty of helpful info here.

    I’m sending it to a few pals ans additionally sharing in delicious.
    And naturally, thank you for your sweat!

leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.