gestão de condomínio para a sustentabilidade
23 nov 2018

Qual o papel da gestão de condomínios para a sustentabilidade?

O meio ambiente ronda tudo o que nos cerca. Mesmo no âmbito corporativo, é preciso pensar nos impactos humanos causados na natureza, não só por ser uma tendência, mas uma necessidade. É aí que entra a gestão de condomínio para a sustentabilidade.

Várias são as medidas possíveis para garantir um ambiente mais sustentável. Nos condomínios comerciais — e até mesmo nos residenciais, alternativas simples como a coleta seletiva trazem impactos positivos. O melhor é que as vantagens também se estendem aos condôminos, já que a qualidade de vida é otimizada e os gastos são reduzidos.

Para entender melhor esse tema, vamos abordar o papel da gestão condominial para a sustentabilidade. Neste artigo, explicaremos como implementá-la no meio corporativo e quais impactos são sentidos ao adotar essa ação. Acompanhe!

A sustentabilidade no meio corporativo

O conceito de sustentabilidade prevê a preservação e a conservação da natureza ao mesmo tempo que o desenvolvimento humano é realizado. A ideia é criar hábitos diferenciados para evitar desperdício, poluição e gastos excessivos, que podem causar a falta de recursos básicos à sobrevivência do ser humano.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o objetivo de agir de forma sustentável é buscar “as necessidades presentes sem comprometer as capacidades das gerações futuras de atender suas próprias necessidades”. Dentro desse contexto, fica claro que o conceito é passível de aplicação em diferentes áreas, inclusive na gestão condominial.

Como fazer isso? Existem várias práticas a serem implementadas. Cada condomínio tem suas demandas específicas. Por isso, é necessário fazer um diagnóstico aprofundado para entender a situação atual e, então, definir as ações mais acertadas.

Os impactos da gestão de sustentabilidade para o condomínio

Os benefícios derivados da sustentabilidade para o condomínio corporativo são inúmeros. As chamadas edificações verdes aumentaram nos últimos 10 anos, segundo o CEO do Green Building Council (GBC), Felipe Faria. Os motivos que justificam esse investimento são, principalmente, a produtividade e a qualidade de vida dos colaboradores.

Segundo estudos do US Green Building Council (USGBC), o ganho de produtividade dos colaboradores chega a 16%. O consumo de energia é reduzido em até 30%, enquanto o de água é diminuído em 50%. Já a emissão de gás carbônico é mitigada em 35%. E os custos de manutenção e operação, por sua vez, são em média 40% menores.

Os dados comprovam que os benefícios das ações afetam todos os condomínios. Com medidas simples, há uma contribuição significativa para o meio ambiente e para a qualidade de vida no trabalho. Para isso, é importante a conscientização entre todas as pessoas. Afinal, o que um indivíduo faz interfere diretamente nos resultados de todos.

5 dicas para fazer a gestão de condomínio para a sustentabilidade

As medidas a serem adotadas para garantir a sustentabilidade na gestão de condomínios corporativos são variadas. Confira as principais:

1. Busque certificação ambiental

As certificações são importantes para os condomínios corporativos porque indicam quais ações são corretas e atestam que são cumpridas. Esse processo é feito por organismos independentes, a exemplo do GBC, que comprova que o edifício é mesmo “verde”.

Para conseguir a certificação, é preciso apresentar alguns documentos, conforme solicitação da entidade. Nos Estados Unidos, a certificação é a Leadership in Energy and Environmental Design, oferecida pelo USGBC.

2. Encontre alternativas para economizar água e energia

Um dos principais benefícios da sustentabilidade é otimizar o uso de energia e aproveitar os recursos hídricos. O ideal é fazer um consumo racional. Por exemplo, no caso da água, é possível implementar:

  • torneiras e válvulas de descargas eficientes;
  • controle de consumo;
  • reuso de água proveniente da chuva;
  • paisagismo com baixa necessidade hídrica;
  • controle da irrigação;
  • medidores individuais de consumo.

Já em relação ao consumo de energia elétrica, vale a pena adotar medidas de desempenho dos sistemas. É importante treinar a equipe para garantir a otimização do uso e executar outras medidas, como:

  • compra de equipamentos de baixo consumo, com selos Procel ou Energy Star;
  • aquisição de energias renováveis, a exemplo da eólica, térmica, fotovoltaica, biomassa etc.;
  • utilização de lâmpadas LED, que proporcionam economia e têm maior durabilidade.

Os sensores de presença também ajudam a economizar energia, já que a luz é acesa somente quando alguém é identificado. Vale a pena instalar esse recurso nos acessos e nas garagens.

3. Implante a coleta seletiva

O descarte correto do lixo e a reciclagem dos materiais são atitudes fundamentais para a gestão condominial para a sustentabilidade. É importante que os materiais sejam divididos em categorias: papel, plástico, metal, vidro e orgânico.

Os recicláveis podem ser vendidos e gerar uma renda extra. Já as cascas de ovos e de frutas podem se tornar adubo para alguma horta ou para as plantas existentes no edifício.

Para incentivar a participação de todos, instale coletores em todo o edifício. Faça uma parceria com uma cooperativa especializada no recolhimento e no tratamento do resíduo. Isso trará muitos benefícios para o meio ambiente com o aproveitamento, além de retorno financeiro com a venda.

4. Melhore o sistema de refrigeração

As estruturas do condomínio que absorvem muito calor mantêm os ambientes aquecidos por muito tempo. No verão, isso dificulta o processo de condicionar e refrigerar o ar, o que aumenta os gastos com energia.

O intuito é buscar alternativas que diminuam essa situação, especialmente para impermeabilizações e revestimentos. Uma boa ideia também é instalar painéis solares, para que parte da energia utilizada seja renovável.

5. Revitalize espaços

As áreas comuns do condomínio corporativo podem servir para mais finalidades do que apenas a circulação de pessoas. Você pode implementar um local de interação social, um ambiente de aprendizado ou para passar tempo livre. Oferecer hortas, cisternas e meliponários (para produção de mel) é uma atividade interessante, que melhora a qualidade de vida no trabalho e ajuda a desestressar.

Como você pôde perceber, a gestão de condomínio para a sustentabilidade é algo simples, que pode ser implementada a partir de agora. Basta colocar em prática as ideias que repassamos neste post.

E você, o que faz para contribuir para o meio ambiente? Compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a entenderem como seu condomínio pode se tornar mais sustentável!

leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.